A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO – UFMA EM TEMPOS DE PANDEMIA

  • Maria Núbia Barbosa Bonfim Universidade Federal do Maranhão
  • Ilma Vieira do Nascimento Universidade Federal do Maranhão
Palavras-chave: Formação de Professores. Ensino Presencial. Ensino Remoto. Pandemia. Tecnologias Digitais.

Resumo

O cenário atual da pandemia COVID-19 atinge drasticamente a saúde pública mundial,
impondo desafios que atravessam fronteiras físicas, ideológicas e socioeconômicas. No
Brasil, além dos transtornos causados pela virulência e pelo contágio, a doença acentua as
desigualdades sociais materializadas, também, no crescimento do número de mortes
decorrente da falta de insumos básicos necessários à maioria da população. Este ensaio foca a
repercussão do fenômeno na área educacional do ensino superior, visto que objetiva analisar
os reflexos causados pela COVID-19 na formação de professores oferecida pela UFMA,
situada no nordeste do país. No que se refere aos procedimentos metodológicos, este texto
classifica-se como de natureza exploratória, pois utiliza como fonte principal o levantamento
de dados secundários que passam a delinear o fenômeno em análise. Por sua vez, o estudo em
andamento, cuja manifestação se apresenta à consciência a partir da sua exterioridade, busca
inspiração em pressupostos da Fenomenologia. Conclusivamente, entende-se que a
dificuldade de acesso aos recursos tecnológicos, bem como o despreparo de um número
considerável de professores, em todos os níveis de ensino, na utilização de plataformas
digitais, agrava a opção massiva por esses recursos em substituição ao ensino presencial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Arruda, E. P. (2020). Educação Remota Emergencial: elementos para políticas públicas na

educação brasileira em tempos de Covid-19. Revista Em Rede. 7 (1), 257-275.

Brzezinski, I. (2002). Profissão Professor: identidade e profissionalização docente. In:

Brzezinski, I. (org.) Profissão Professor: identidade e profissionalização docente.

Brasília: Plano Editora, 07-19.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática pedagógica. (13a

ed.). São Paulo: Paz e Terra.

Freire, P. (2018). Pedagogia do Oprimido (65a ed.). São Paulo: Paz e Terra.

Freitas, H. C. L. de (2002). Formação de Professores no Brasil: 10 anos de embate entre

projetos de formação. In: Educação e Sociedade, Campinas, 23(80), 136-167.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2018). Síntese Indicadores Sociais.

Recuperado em 13 de outubro de 2020, em

https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/educacao/9221-sintese-de-indicadoressociais.html?=&t=resultados.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2020). Estatísticas Sociais População.

Recuperado em 13 de outubro de 2020, em

https://ibge,gov.br/estatísticas/sociais/população/9103-estimativas_depopulação.html?=&t=resultados.

Maranhão. Secretaria de Estadual de Educação. (2020). Maranhão tem queda de 4 pontos

percentuais na taxa de analfabetismo entre pessoas com 15 anos ou mais. Recuperado

em 15 de outubro de 2020, em https://www.educacao.ma.gov.br/maranhao-tem-quedade-4-pontos-percentuais-na-taxa-de-analfabetismo-entre-pessoas-com-15-anos-oumais/.

Marková, I. (2017). Mente dialógica: senso comum e ética. Curitiba: PUCPRESS.

Martins, J. & Bicudo, M. A. V. (2003). A pesquisa qualitativa em psicologia: fundamentos e

recursos básicos. São Paulo: Centauro.

Martins, J. (2006). Estudos sobre existencialismo, fenomenologia e educação. São Paulo:

Centauro.

Martins, L. M. (2010) O legado do século XX para a formação de professores. In: Martins, L.

M.; Duarte, N. (org.). Formação de Professores: limites contemporâneos e

alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 13-31.

Matos, C. C. de, Reis, E. E. dos, Silva, S. P. da (2020). As reverberações do pensamento

liberal na educação e sua atualidade em tempos de pandemia. In: Uchoa, A. M. C. et al

(org.). Diálogos Críticos, volume3: EAD, Atividades Remotas e o Ensino Doméstico:

cadê a escola? Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2020, 30-56, (recurso eletrônico).

Monteiro, S. S. (2020). Reinventar educação escolar no Brasil em tempos da Covid. Rev. Rev.

Augustus, 25(51), 237-254.

Nóbrega, A. C. da. (2020). A Universidade Federal Brasileira, a pandemia da Covid-19 e

além. Recuperado em 7 de outubro de 2020., em http://www.andifes.org.br/auniversidade-federal-brasileira-a-pandemia-da-covid-19-e-alem/ .

Nóvoa, A. (1995). Formação de Professores e Profissão Docente. In: Nóvoa, António (org.).

Os Professores e a sua Profissão. Lisboa: Instituto de Educação Profissional, 15-33.

Oliveira, E. S. G. & Rego, M. C. L. C. & Villardi, R. M. (2017). Aprendizagem mediada por

ferramentas de interação: análise do discurso de professores em um curso de formação

continuada a distância. Educação e Sociedade, 28(101), 1413-1434.

Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. (2020). Covid-19:

impact on Education. Recuperado em 8 de outubro de 2020, em

https://pt.unesco.org/covid19/education.response/globalcoalition#.

Pais, J. M. (2003). Vida cotidiana: enigmas e revelações. São Paulo: Cortez.

Postic, M. (1990). A relação pedagógica. Coimbra: Coimbra Editora.

Santos, B. de S. (2020). A Cruel Pedagogia do Vírus. Coimbra/PT: Edições Almedina S.A.

Silva, P. J, de & Lima, A. B. de. (2020). O oportunismo neoliberal na pandemia de 2020: a

nova morfologia da educação e a superexploração do trabalho docente. MovimentoRevista de Educação, 7(15), 286-312.

Silva, P. S. G. (2007). A fenomenologia de Husserl: uma breve leitura. Brasil Escola.

Recuperado em 23 de dezembro de 2020, em

https://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/filosofia/a-fenomenologia-husserl-umabreve-leitura.htm.

Tardif, M. (2013). A profissionalização do ensino passados trinta anos: dois passos para a

frente, três para trás. In: Educação e Sociedade. Campinas, 34(123), 551-571.

Universidade Federal do Maranhão. (2020). Levantamento das condições para o

desenvolvimento de atividades de ensino-aprendizagem por via remota em caráter

emergencial. São Luís: UFMA/PROAES.

Universidade Federal do Maranhão. (2020). Proposições para o Desenvolvimento Curricular

do Curso de Pedagogia/CCSO em Tempos de Pandemia. Formando professores/as em

tempos de pandemia: re(e)existência e luta, humanização e ética nas práticas

formativas. São Luís: UFMA/Pedagogia/NDE.

Vargas, A. L. S.,Guimarães, M. M. N., & Rodrigues, M. A. M. (2010). A inserção do

software educativo na educação de jovens e adultos: um impacto social e o método

bioecológico de Bronfenbrenner. In: Revista Educação em Questão, 38(24), 207-237

Publicado
2021-11-24
Como Citar
Barbosa Bonfim, M. N., & Vieira do Nascimento, I. (2021). A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO – UFMA EM TEMPOS DE PANDEMIA. <font color="#A31C25">Revista FORGES </Font&gt;, 7(2), 44 -61. Obtido de https://revistaforges.pt/index.php/revista/article/view/145
Secção
ARTIGOS